sexta-feira, novembro 24, 2017

Pedro Babes

Nome: Pedro Babes
Naturalidade: Lisboa
Ano de Nascimento: 1986
Nome de Guerra: "Sá-murai"
Ano de Inscrição no Nódoas Negras FC: 2017
Palmarés: 3.º Lugar do Torneio do VII Mundo Nodoanegrino de 11/11/2017;

Bernardo

Nome: Bernardo
Naturalidade: Porto
Ano de Nascimento: 1993
Alter-ego: Bernardo Silva
Nome de Guerra: "Barco Rabelo"
Ano de inscrição no Nódoas Negras FC: 2017
Palmarés: 3.º Lugar Melhor Assistente do VI Mundo Nodoanegrino de 17/06/2017 (ex aequo);

Nuno Silva

Nome: Nuno Silva
Naturalidade: Paredes
Ano de Nascimento: 1991
Alter-ego: Nuno Silva
Nome de Guerra: "Black Op", "Comando"
Ano de inscrição no Nódoas Negras FC: 2017
Palmarés: Melhor Marcador do VI Mundo Nodoanegrino de 17/06/2017 (ex aequo);
2.º Melhor Assistente do VI Mundo Nodoanegrino de 17/06/2017 (ex aequo);

quinta-feira, novembro 23, 2017

Brochado

Nome: Brochado
Naturalidade: Penafiel
Ano de Nascimento: ???
Alter-ego: Eduardo José
Nome de Guerra: "Hulk"
Ano de inscrição no Nódoas Negras FC: 2015
Palmarés: 4.º Lugar Melhor Marcador do V Mundo Nodoanegrino de 10/06/2016 (ex aequo);
5.º Lugar Melhor Marcador do V Mundo Nodoanegrino de 10/06/2016 (ex aequo);

Unable

Nome: Unable
Naturalidade: Penafiel
Ano de Nascimento: 1987
Alter-ego: Marcelo Barreira
Nome de Guerra: "O Fenómeno"
Ano de Inscrição no Nódoas Negras FC: 2004
Palmarés: 4.º Lugar Melhor Marcador do V Mundo Nodoanegrino de 10/06/2016 (ex aequo)
5.º Lugar Melhor Assistente do V Mundo Nodoanegrino de 10/06/2016 (ex aequo)

terça-feira, novembro 14, 2017

VII Mundo Nodoanegrino - 11/11/2017

Num arriscado golpe de rins, a direcção do clube decidiu promover a reedição de uma das mais polémicas iniciativas da sua história, embutida numa das mais populares: realizar um torneio de futebol, no jogo do Mundo Nodoanegrino. E, ao mesmo tempo, rezar para não se desencadear uma guerra civil, como no longínquo ano de 2006, em que amigo virou costas a amigo, primo partiu canela a primo, e ninguém sabe quem levou a taça.
A afluência ao Mundo Nodoanegrino estabilizou nas 20 pessoas, o que colocou em discussão a possibilidade de existir um factor extra de motivação que compensasse as longas esperas para jogar. Este factor, aliado à necessidade de, previamente, se escolherem equipas, a fim de se evitar esperas piores que as das filas da Segurança Social, tornaram plausível e desejável a realização de um torneio entre essas equipas.
Definiu-se que o modelo de competição seria em jogos a eliminar entre 4 equipas de 5, em jogos de 10 minutos, e troca de campo aos 5 minutos de jogo. Findos os jogos das meias-finais, teríamos jogo de decisão do 3º e 4º classificados e a final, findos os quais, os vitoriosos, os mortos e os feridos conviveriam numa amena futebolada ao bota-fora, como manda o S. Martinho, na sua epístola aos Valsousenses. Em caso de empate definiu-se um período de prolongamento de 5 minutos, sem paragens, e caso permanecesse a igualdade no marcador, os duelos seguiriam para desempate através grandes penalidades (3 seguidas de morte súbita). As equipas foram as seguintes:

A (a jogar de branco): Peúgas, Pires, Jorge, Simão, Magão;
B (a jogar de preto): Babo, Beto, Zé Pedro, Zinhe, QT ;
C (a jogar de azul): Abílio, Matos, Lipinho, Pedro Tiago, Chibas;
D (a jogar de vermelho): Flores, Júnior Lopes, Carlos Moreira, Pedro Sá Torres, Bruno Ribeiro;

Quis o destino, e a moeda que Jorge "Two Face" Tubarão trouxe para o campo, que os jogos opusessem a equipa A contra a B no primeiro jogo, e a equipa C contra a D no segundo encontro.
Do primeiro jogo resultou um duelo muito equilibrado que apenas um golo em lance de contra-ataque desbloqueou consegrando a vitória da equipa A. No segundo jogo, um duelo titânico entre a organização da equipa D e a técnica da equipa C resultou num empate a uma bola; nota para o golo olímpico, de baliza a baliza de Matos. Após prolongamento e grandes penalidades, os azuis seguiram para a final. O jogo pelo 3.º classificado ficou marcado pelo resultado mais desnivelado da tarde, face a uma equipa A perdida em campo que chegou a estar a perder por 6-1, e que apenas o cansaço da equipa vermelha permitiu atenuar o marcador. A grande final ficou marcada, mais uma vez, pelo cinismo táctico da equipa azul, que a espaços criava um perigo assassino na área contrária. Bem organizada, e com os panzers estrategas Jorge e Peúgas, com a irreverência de Simão e a garra de Macedo, os brancos deram réplica à altura tendo inclusive aberto o marcador. Ao aproximar-se o fim do jogo, os azuis não só empataram, como ainda fizeram um segundo golo, num lance que veio a ser anulado pelo árbitro de baliza. As bancadas protestaram, invasão de campo, "o que é que precisamos de fazer para ganhar?", ouvia-se. Mas sem efeito. O lance foi anulado, e mais uma vez o jogo seguiu para prolongamento, e novamente pénaltis. Nova polémica estalou, quando o último penalti foi marcado antes do apito do árbitro. Prejudicada? Novamente a equipa azul. O Sr. Vitorino ameaçou fechar o campo, pois ele não admite que equipas de azul sejam roubadas desta maneira. Repetição do lance. Os azuis levavam a taça. Ninguém se magoou e ficaram todos amigos. Os resultados e as estatísticas:

Meia- Final 1
A (1 - 0) B
A - Golo: 1 Jorge, Assistência: 1 Peúgas


Meia-Final 2
C (1 - 1) D; após g.p. (2 - 1)
C - Golo: 1 Matos
D - Golo: 1 Flores

Pénaltis: C - 1 Lipinho, 1 Chibinhas
              D - 1 Júnior


Jogo pelo 3º Lugar:
B (3 - 6) D
B - Golos: 3 Zé Pedro; Assistências: 1 Babo; 1 Beto, 1 Zinhe;
C - Golos: 4 Júnior; 2 Carlos Moreira; Assistências: 1 Flores; 1 Júnior


Final:
A (1 - 1) C, após g.p. (3-4)
A - Golo: 1 João Magão; Assistência: 1 Peúgas;
C - Golo: 1 Abílio; Assistência: 1 Chibinhas;

Pénaltis: A - 1 Jorge, 1 Simão, 1 Peúgas
               C - 1 Matos, 1 Abílio, 1 Chibinhas, 1 Lipinho


Classificação final:
1º - C (a jogar de azul): Abílio, Matos, Lipinho, Pedro Tiago, Chibas;
2º - A (a jogar de branco): Peúgas, Pires, Jorge, Simão, Magão
3º - D (a jogar de vermelho): Flores, Júnior Lopes, Carlos Moreira, Pedro Sá Torres, Bruno Ribeiro
4º - B (a jogar de preto): Babo, Beto, Zé Pedro, Zinhe, QT


Estatísticas do torneio:

Golos (excluindo pénaltis):

Júnior - 4
Zé Pedro - 3
Carlos Moreira - 2
Flores - 1
Jorge - 1
João Magão - 1
Abílio - 1
Matos - 1


Assistências:

Peúgas - 2
Babo - 1
Beto - 1
Zinhe - 1
Chibas - 1
Flores - 1
Júnior - 1

Depois de uma seca prolongada, e de um frio que pareceu arrefecer as ideias da equipa B, esta voltou ao campo com profunda intenção de limpar a má imagem. Resultado? Somou mais vitórias que a equipa que ganhou o torneio. O Eng.º Fernando Santos ficaria orgulhoso! Eis as estatísticas do que sobrou do bota-fora, pós-torneio:


Estatísticas do bota-fora:

Golos:

Beto - 3
Babo - 2
Zé Pedro - 2
Peúgas - 1
Jorge - 1
Lipinho - 1
Júnior - 1
Flores - 1

Assistências:

Beto - 2
Babo - 2
Simão - 1
QT - 1


As estatísticas finais do VII Mundo Nodoanegrino, resultado da soma do torneio e do bota-fora, são as seguintes:

Golos:

Júnior - 5
Zé Pedro - 5
Beto - 3
Carlos Moreira - 2
Babo - 2
Jorge - 2
Flores - 2
João Magão - 1
Abílio - 1
Matos - 1
Peúgas - 1
Lipinho - 1


Assistências:

Beto - 3
Babo - 3
Peúgas - 2
Simão - 1
Zinhe - 1
Chibas - 1
Flores - 1
Júnior - 1
QT - 1

Fruto do sucesso da edição anterior, que aliou festa brava a uma farta jantarada, os atletas mais corajosos juntaram-se na prova dos vinhos das festividades de S. Martinho. Como viram que o Presidente da Câmara ainda não tinha as chaves da cidade prontas para lhes entregar, os nodonaegrinos marcharam para o Staminé Café, onde tiveram oportunidade de ouvir uma palestra do Ilustre Filipe Teixeira sobre feminismo no século XXI. O verde tinto fez o resto do trabalho.

sexta-feira, setembro 01, 2017

Best of 2014

16/03/2014








22/03/2014





18/04/2014











































27/04/2014



















24/05/2014



10/08/2014
















25/10/2014 - IV Mundo Nodoanegrino